APRESENTAÇÃO

 

Os seguidos avanços das técnicas e metodologias voltadas para as investigações de processos e fenômenos geográficos são cada vez mais rápidos e significativos, acontecendo de maneira tão profunda, que inevitavelmente nos faz pensar em nossos problemas espaciais dentro de uma ótica mais complexa, abandonando por vezes a ótica analítica, da análise das partes, pra pensarmos dentro de uma perspectiva sintético-analítica, em que pensamos nas partes e sua influência no todo, assim como no todo e sua importância para a organização das partes.

Sem dúvida alguma isso nos remete ao pensamento sistêmico que, ao contrário dos atuais avanços geotecnológicos, não é nada novo. O biólogo austríaco Ludwig von Bertalanffy já afirmava na década de 1950 que num futuro próximo, com desenvolvimento de novas tecnologias, seria possível a realização de investigações capazes de integrar os complexos sistemas naturais, e com isso, seríamos capazes de compreender toda natureza dentro de uma perspectiva realmente holística e integrada.

(...)

Neste livro vamos abordar para o LLERJ as suas características geográficas, o seu mapeamento geomorfológico, o seu mapeamento de uso e cobertura da terra e as condições ambientais das unidades de conservação do LLERJ. Capítulos separados de um esforço que é conjunto do Grupo de Estudos Dinâmicas Ambientais e Geoprocessamento, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Formação de Professores (UERJ-FFP).

Todas as análises foram possíveis a partir do uso de processamento digital de imagens de sensoriamento remoto (PDI-SR) e análises espaciais realizadas em sistemas de informações geográficas (SIG). Tecnologias e metodologias que evoluíram muito, que ainda não nos fizeram chegar à inalcançável e sonhada complexidade de Edgar Morin e Bertalanffy, mas que nos têm aproximado cada vez mais da visão de mundo mais articulada e holística.

Vinicius da Silva Seabra

Rafael Cardão Augusto

Capa_Livro.jpg
Capa_Livro_Covid19.jpg

APRESENTAÇÃO

 A Geografia tem o papel de explicar as razões para a localização e distribuição dos fenômenos, processos, eventos e objetos existentes na superfície terrestre, além de também compreender como se dá a relação entre a sociedade e natureza nos diferentes espaços geográficos. Neste sentido, seu papel para auxiliar o mundo na busca por soluções e mitigações de impactos causados pela disseminação do vírus Sars-CoV-2, causador da COVID-19, é fundamental, já que a compreensão da distribuição espacial dos óbitos e novos casos da doença podem auxiliar na tomada de decisão relativa às políticas públicas para controle da doença e de seus impactos.

Desta maneira, este livro teve o propósito de reunir trabalhos científicos de excelência, de diferentes instituições de nível superior no Estado do Rio de Janeiro (ERJ), cujo o objetivo foi analisar, a partir de representações espaciais, o avanço da COVID-19 em diferentes escalas e regiões no ERJ. Os capítulos aqui apresentados retratam o período inicial da pandemia, ou seja, os primeiros 9 ou 10 meses de 2020, onde ainda não tínhamos vacinas, e o único recurso disponível e eficaz contra a doença era o uso de máscaras e as restrições de mobilidade das pessoas.

Esperamos que este livro contribua não somente para a compreensão da COVID-19 nos tempos atuais, como também possa ser um registro válido para a compreensão dos desdobramentos futuros desta pandemia, e seus impactos nos mais diferentes setores da sociedade.

 

Phillipe Valente Cardoso

Vinicius da Silva Seabra

Capa_Livro_SãoJoão.jpg

APRESENTAÇÃO

O objetivo principal deste livro é trazer propostas metodológicas, resultados, análises e discussões sobre diferentes questões relacionadas à Bacia Hidrográfica do Rio São João e tentar traduzir para a sociedade em geral e, em especial, para as instituições locais, os resultados de nossos principais estudos. Este seria o nosso olhar para o São João. Assim, a ideia foi trazer as contribuições desenvolvidas através de dissertações de mestrado e teses de doutorado ao longo destes anos, abrindo estas pesquisas de uma forma mais ampla. Neste sentido, trazemos neste livro, além de um capítulo inicial com a apresentação da temática integradora, que é a própria área de estudo, mais 12 capítulos alinhados de forma a apresentar estudos relacionados às dinâmicas da cobertura florestal e agrária, além de considerações sobre os estados dinâmicos da paisagem na área. Também é apresentada a caracterização hidrossedimentológica do Alto São João além de um estudo relacionado a sua reconstituição paleogeográfica com vistas a renaturalização fluvial. É dado foco também à REBIO Poço das Antas através de dois capítulos voltados a sua contribuição para a restauração das florestas e formas de análise de áreas restauradas através do uso de VANTs. Tem-se ainda o estudo de um índice de interpretabilidade aplicado a imagens orbitais, visando otimizar escolhas para a elaboração de mapeamentos temáticos. Para finalizar, é trazida uma série de contribuições voltadas às questões ambientais, relacionadas à análise da paisagem, à fragmentação florestal e às potencialidades e modelagem de indicadores para a restauração florestal. A APA do rio São João exerce uma função fundamental para a conservação e recuperação da Mata Atlântica numa área de grande endemismo. Ao longo de seus anos de atuação as eficientes ações de fiscalização foram determinantes para a redução do desmatamento e para a manutenção das funcionalidades ecológicas e do equilíbrio de habitats. Portanto, vida longa para a APA!

Carla Bernadete Madureira Cruz

Monika Richter

Vinícius da Silva Seabra

Fale conosco!!!
estacionário